RESUMO – POESIA

 

RESUMO

Receio que o meu tempo futuro

Reserve-me o direito de esquecer

E por isso guardo aqui a minha marca

Só as palavras não morrem

E na imortalidade que hoje vivo

Eu comemoro aqui, agora…

Coisa de poeta

Que carrega na alma

A vontade de lembrar ameaçada

Pela esquisitice do esquecer

E enquanto faço poesia

Eu agradeço à Fábrica pelas lembranças

Por não haver cárceres para as almas

E se um dia roubarem-me a memória

Mesmo assim continuarei vivendo

Para o poeta o silêncio fala.

Talvez você curta